Sunday, February 01, 2015

O Palmeiras é grande!




Início da temporada 2015 deixa os torcedores confiantes

Não é segredo: sou Palmeiras! E depois de alguns anos de "sofrimento", parece que vou ter motivos para comemorar, e muito, com o time em 2015.

Que seja assim! E vale ver o vídeo emocionante, gravado momentos antes da partida contra o Audax Osasco.

Friday, January 30, 2015

Quem são os responsáveis pelo trânsito?



Muito cômodo dizer que se trata do grande volume de veículos

Não tem jeito: qualquer cidade média em horários de pico tem trânsito. Nas grandes, dependendo do local, são 24 horas de trânsito. Um bom exemplo na cidade de São Paulo é a avenida Rebouças.

O grande volume de veículos nas ruas, evidente, é o grande responsável pelo trânsito. Mas, eles não estão sozinhos. Os "motoristas" que só querem levar vantagem contribuem (e muito).

Vivo diariamente situações que, se todos agissem da forma correta, seria melhor para uma boa fluidez do trânsito. São aqueles que param em locais proibidos. Os que trafegam na faixa exclusiva dos ônibus e, la na frente, querem (e entram) na faixa correta. E por ai vai. 

O respeito no trânsito funciona muito mais que qualquer sinalização. Vale parar agora um pouco e refletir: você está agindo de forma correta?

Monday, January 19, 2015

Pequenas Frustrações - Grandes Problemas



Considere-as pequenas contrariedades que fazem parte da vida e não como calamidades

Rick Warren*

Muitas vezes fico perplexo por testemunhar como pequenas frustrações no ambiente de trabalho se avolumam, culminando em atitude desastrosa na hora de irmos para casa. O sábio rei de Israel, Salomão, escreveu milhares de anos atrás: “Peguem as raposas, antes que elas estraguem a nossa plantação de uvas...” (Cântico dos Cânticos 2.15). Cada ambiente de trabalho tem seus problemas exclusivos, questões que podem surgir para arruinar o mais agradável e pacífico dos dias.

Tenho aprendido que as frustrações que experimentamos no trabalho e no meio profissional geralmente pertencem a três tipos:

Interrupções. Surgem sob a forma de visitas inesperadas ou telefonemas (como o que recebi enquanto digitava esta frase!). Elas têm um modo sinistro de surgir sempre que temos um prazo fatal a cumprir ou um assunto importante requer nosso tempo. Mesmo preparativos mais cuidadosos são insuficientes para impedir que nossos melhores planos sofram interrupções.

Inconveniências. Interrupções aparecem sob a forma de pessoas, mas inconveniências comumente envolvem coisas – ferramentas e “conveniências” modernas que nos abandonam em queda livre quando deixam de funcionar. É a copiadora que quebra e perde-se tempo para colocá-la em operação novamente. O tráfego engarrafado, deixando-nos imóveis, incapazes de chegar a tempo para a reunião marcada. Ou quando não conseguimos encontrar um documento importante para a apresentação.

Irritações. Geralmente causadas por atrasos de vários tipos: pessoas não confiáveis que deixam de cumprir o que prometeram; o “esconde-esconde” com quem precisamos falar, trocando mensagens, mas sem conseguir contato direto; uma doença sem gravidade, mas que nos deixa um trapo; clientes que não reconhecem o que estamos tentando fazer em favor deles.

Quer gostemos ou não, interrupções, inconveniências e irritações são parte da vida. Não importa o quanto tentemos - não é possível eliminá-las. Garanto que você vai se deparar com esses três tipos de frustração ao longo desta semana. Embora não possamos evitá-las, podemos aprender a impedir que nos causem estresse desnecessário. Qual o segredo para lidarmos com frustrações?

- Não resista a elas. Aceite-as. Não reaja de modo exagerado, nem tenha uma explosão de ira.
- Não fique ressentido com elas. Não intensifique-as, interiorizando a ira.
- Não se resigne com elas. Recuse-se a ser indulgente caindo na autopiedade por causa de um obstáculo inesperado.
- Reduza sua importância. Trate-as como significativas, mas sob a devida perspectiva.

Considere-as pequenas contrariedades que fazem parte da vida e não como calamidades.

A Bíblia ensina que um dos sub-produtos da sabedoria é a paciência. Precisamos olhar as circunstâncias sob a perspectiva de Deus. Quando estou em sintonia com Deus, lembro-me que Ele tem todas as coisas debaixo do Seu controle, embora eu não as tenha. Como Gálatas 5.22 nos ensina: “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência...”

* Rick Warren, escritor e conferencista, autor do best-seller "The Purpose-Drive Life" (Uma Vida Com Propósitos), traduzido em várias línguas através do mundo. Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de J. Sergio Fortes

Friday, January 16, 2015

O Allianz Parque não está livre dos cambistas




Eles agem livremente e contam com "parceiros"

Qualquer torcedor do Palmeiras quer conhecer o novo estádio. Quem já foi, quer ir novamente. Tive a oportunidade de ir no show do Paul McCartney - contra o Sport, na estreia, não consegui ingresso por menos de R$500,00 e achei prudente deixar para depois.

O depois seria agora, no amistoso que a equipe faz contra o time chinês Shandong. Aproveitaria para levar meu filho (dez anos) e um amigo e cunhado que mora no interior - e tão palmeirense como eu.

Os ingressos mais baratos (R$40,00) acabaram e, na bilheteria, os preços estavam a partir de R$150,00. Mas, os cambistas têm ingressos mais baratos...e te abordam sem nenhum constrangimento na boca da bilheteria. Negociam com você ali, na cara do gol.

Inocentemente, acreditava que a parceria Palmeiras e WTorre mudaria alguma coisa. Mas não. Os cambistas têm "parcerias" com pessoas do Palmeiras e, acredite, com lojas do Shopping Bourbon, que passam o cartão de débito para eles. Tudo muito profissional.

Como cidadão, liguei para o 190. Identifiquei os dois que estavam vendendo (um deles com a camiseta da escola de samba Mangueira - fácil demais de identificar)...e, quase uma hora depois nenhuma viatura apareceu. Talvez seja mais um "parceiro" deles.

Caso queira falar comigo é só enviar um e-mail para sergio.jornalista@terra.com.br.

Saúde e Paz!

Wednesday, January 14, 2015

Quando é bom não ser chamado pelo nome




O prazer que só quem é pai sabe quando um filho te chama

Fui pai bem jovem. Tinha acabado de completar 19 anos em abril e em setembro minha filha nasceu. E pouco tempo depois aconteceu a separação da mãe dela.

O mais difícil foi ficar longe dela, pois estava comigo todos os dias. Ainda conseguia vê-la toda semana, o que amenizava a dor da distância.

Mas, o que também me deixava chateado (e preocupado) era o fato de, eventualmente, ela chamar alguma outra pessoa de pai - e não eu. Preocupação que se mostrou desnecessária e até infantil...mas, analisando hoje (rs). Na época foi complicado.

Depois da primeira filha vieram outros dois e agora são três. E o prazer de ouvir eles me chamando "pai" não tem preço. Filhos de uma conhecida chamam ela (mãe) e avó pelo nome! Não imagino meus filhos agindo assim. E ainda bem não precisei agir neste sentido.

Enem

No universo de 6 milhões, mais de 500 mil candidatos zeraram na redação. Alguma coisa precisa mudar e com urgência. 

O problema não está apenas na escola, que precisa ser melhorada. Mas na educação que as crianças recebem em casa - muitas vezes inadequada em razão da educação que os pais tiveram etc. É necessário se encerrar o ciclo vicioso.

Ciclovias em São Paulo

Sobre as críticas que escuto e leio, entendo que as ciclovias que estão tomando conta da cidade de São Paulo devem dar "frutos" em curto e longo prazo. 

Não é algo para amanhã e sim para o amanhã. Está aqui o registro para podermos falar mais depois.

Caso queira falar comigo é só enviar um e-mail para sergio.jornalista@terra.com.br.

Saúde e Paz!

Monday, January 05, 2015

Perseverança



Desistir, desanimar ou desesperar? O segredo é perseverar nas horas difíceis 

O texto abaixo não é novidade no blog. Ele já foi publicado originalmente por aqui no dia 27.6.2009 - quase seis anos atrás.

Na ocasião o irmão, amigo e sócio Marcel Agarie me presenteou com a sua excelente leitura e na hora imaginei que podia ser útil. Trata-se de um texto escrito por Robert J. Tamasy com o título "Perseverança". Excelente para refletir no início do ano.

Perseverança

Robert J. Tamasy

Muitos vivem segundo o princípio do “Eu preciso ter, e precisa ser agora!” Lembro-me quando precisava esperar dias, às vezes semana, para rever as provas da revista que eu editava e eram enviadas pelo correio. Hoje provas digitais chegam por e-mail quase que instantaneamente. E já quase achamos esse meio “devagar” demais. 

Notícias e informações igualmente precisam ser imediatas. Nada de esperar pelo jornal diário ou ir à biblioteca fazer pesquisas. Tudo o que precisamos pode ser encontrado pela Internet. Quando vamos ao nosso restaurante ou lanchonete preferido, ficamos impacientes se temos que esperar alguns minutos para sermos atendidos. Sabemos o que queremos, e o queremos para já! 

Atletas jovens e talentosos, ansiosos por capitalizar seus dotes físicos, procuram fugir das etapas de preparação, visando apenas alcançar as riquezas proporcionadas pelo esporte profissional. Líderes empresariais não dispostos a investir tempo necessário para o desenvolvimento de suas carreiras e aspirações de modo convencional, escolhem tomar atalhos, transigindo nos padrões morais e éticos. Querem gratificar suas necessidades e desejos, e isso precisa acontecer já!

Todo o mundo se encanta diante da perspectiva de obter sucesso "da noite para o dia”. A realidade, porém, é que mesmo aqueles que de repente explodem no mundo dos negócios ou profissional ou outra área, geralmente perseguiram sua paixão no anonimato por anos a fio. Para a maioria, foram anos mais pontuados pelo fracasso do que pelo êxito. O segredo é que, ao invés de desistir, desanimados ou desesperados, perseveraram em sua busca. 

Perseverar é recusar-se a desistir, é constância em se manter fiel a um sonho, uma visão ou missão, mesmo diante de obstáculos enormes. Esta é uma característica dos maiores exploradores, cientistas e inventores que o mundo já conheceu. Perseverança, além de proporcionar determinação e disciplina para suportar e vencer adversidades, gera também outros benefícios: 

Perseverança forja o caráter. Como o exercício físico faz com os músculos, assim perseverança fortalece a pessoa no íntimo, promovendo um caráter experimentado, que não se dobra quando confrontado com a derrota ou o desapontamento. “Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança” (Romanos 5.3-4). 

Perseverança aumenta com a fé. Fé em si mesmo, em suas metas e, acima de tudo em Deus, fornece a “energia” que produz perseverança para prosseguir no longo prazo. “Pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma” (Tiago 1.3-4). 

Perseverança capacita a lidar com expectativas frustradas. Que acontece quando os resultados esperados não surgem? Alguns desistem, resignados. Outros abandonam seus planos e vão em busca de novos objetivos. Mas há os que se agarram às suas metas, impelidos pela esperança de alcançá-las um dia. Foi o que fizeram os patriarcas da “galeria da fé”: “Todos estes receberam bom testemunho por meio da fé; no entanto, nenhum deles recebeu o que havia sido prometido. Deus havia planejado algo melhor para nós, para que conosco fossem eles aperfeiçoados” (Hebreus 11.39-40).

A realidade que construímos



Falta muito para sermos um pouco melhores

Comento que o nosso problema não está no partido que está no poder (PT, PSDB e PT na prefeitura de São Paulo, Estado de São Paulo e Brasil, respectivamente), mas sim nas ações que tomamos no dia-a-dia.

O que tem de esperto que, na primeira oportunidade já passa para a faixa exclusiva de ônibus nas ruas e avenidas da cidade de São Paulo ou no acostamento das rodovias. Como cobrar de alguém o que não somos? 

Escuto de alguns que o exemplo deve vir de cima. Talvez, pois você só faz o errado se quiser - independente de exemplos.

Ontem no programa "Fantástico" da Rede Globo uma matéria denunciou esquemas de fraude, corrupção que tinham, de um dos lados, médicos. Nós confiamos nossas vidas e das pessoas que mais amamos nas mãos destes profissionais e, como vemos, eles não estão tão preocupados assim com elas - mas sim com os seus reais nos bolsos.

Por fim, cena chocante na rodovia Anchieta, que liga o litorial Sul paulista à Capital. Numa tentativa de assalto, flagrada por uma equipe de TV (foto), foi possível assistir do conforto de nossas casas dois assaltantes agredindo um casal dentro do carro. Um deles ostentava um revólver. E ainda bem nada de mais grave aconteceu.

E estamos apenas no início do ano...

Caso queira falar comigo é só enviar um e-mail para sergio.jornalista@terra.com.br.

Saúde e Paz!

Sunday, January 04, 2015

Aberta a temporada de promessas para 2015




Hora de ver o que deixamos de fazer e o que pode ser feito no novo ano

Início de ano é sempre época de fazer planos. Ver o que fizemos no que passou e imaginar o que pode ser feito no que começa.

Com exceção de dois dias (31 de dezembro de 2014 e 1º de janeiro de 2015), não deixei de trabalhar. Coisas simples, como envio de um e outro e-mail e conteúdo no site do Jornal Alpha Autos (http://www.alphaautos.com.br/).

Fora questões profissionais, também é época de pensar no seu time de coração. O meu, Palmeiras, acredito que tem tudo para melhorar. Sendo bem sincero, qualquer coisa é melhor que o ano de 2014...quando o time quase caiu pela terceira vez para a Série B do campeonato Brasileiro – se salvou (com a ajuda do Santos) na última rodada.

Mantenho minhas convicções políticas. Não desisti do sonho de ver uma sociedade mais justa nos quatro cantos do país. Espero ser um ano de equilíbrio para que, em 2016, o país retome o rumo. Sobre isto, digo para amigos que dificilmente grandes grupos investiriam por aqui (BMW, Jaguar Land Rover, Renault-Nissan etc.) se não tivessem a certeza de retorno.

Caso queira falar comigo é só enviar um e-mail para sergio.jornalista@terra.com.br.

Saúde e Paz!

Jornal BLEH!

Followers